Wednesday, August 15, 2012

A Lenda de Kundú


Ele tinha pouco mais de 5 anos quando viu sua mãe ser devorada pela Grande Serpente. A tradição de seu povo indicava que a cada ano, na noite mais longa do inverno, a Grande Deusa viria para buscar um morador como sacrifício. Sabia-se que, com isso, sempre haveria fartura e prosperidade a Aldeia.


Seu pai procurou educá-lo nos costumes, mas, aos 13 anos, Kundú começou a revelar sua natureza bélica, questionando as tradições e a submissão de todos aldeiantes. Ele, Kundú, inconformava-se com a idéia de que os mais antigos fossem consumidos pela Grande Deusa em troca da continuidade da raça. E ele pensava, sozinho, em uma maneira de tornar-se tão grande quanto a Deusa Serpente, enfrentá-la e vencê-la de forma a não mais submeter-se ao seu poderio.


Kundú aprendeu da arte da guerra e, aos 17, intentou-se para lutar contra a Besta. Armado apenas com seu cajado, emprendeu-se sozinho em busca da Fera. Desceu ao seu covil na véspera da longa noite do inverno. Despertou a Besta que riu descaradamente de tamanho atrevimento. A Besta enviou todas suas crias para atacá-lo e Kundú, tomado de grande força, venceu uma a uma daquelas serpentes e as devorou como se fossem nectar ao seu paladar.


A Grande Deusa enfureceu-se e armou-se para o bote, mas Kundu adquiriu tamanha força com o veneno das serpentes que ao morder a Besta essa tombou desfalecida. Ele abriu o ventre da Serpente, arrancou seu coração e se alimentou dele com prazer.


Ele tornou-se maior que a Grande Deusa e passou a comandar todas as bestas e deuses que eram submissos a Grande Deusa. Seu ar tornou-se sombrio e passou a alimentar-se de serpentes, fortalecendo-se com o veneno de cada uma delas.


Kundú tornou-se um grande rei, capaz de vencer qualquer inimigo que se aproximasse da aldeia. Ele governava com sapiência e, aos poucos, foi capaz de conquistar todos os reinos da Ilha.


Hoje tornou-se uma lenda. Mas ainda há os que o cultuam como aquele que venceu as serpentes e tornou-se maior que elas...